FVS emite novo boletim sem registro de novos óbitos por H1N1 no Amazonas

A 14ª edição do Boletim Epidemiológico da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), atualizada nesta quarta-feira (27/3), registra 863 casos notificados, sendo 119 positivos para o Vírus da Influenza A (H1N1) e 163 para Vírus Sincicial Respiratório (SRV).

O número de óbitos não trouxe alteração em relação aos dois últimos boletins, dos dias 22 e 25 de março. São 31 mortes por H1N1 (24 em Manaus, três em Manacapuru, uma em Parintins, uma em Itacoatiara, uma em Japurá e uma em Urucurituba). Em relação ao sincicial, também continuam sendo 13 óbitos – 11 na capital, um em Borba um em Manacapuru, além de um óbito em Manaus por Parainfluenza tipo 3.

Está em andamento a campanha de vacinação contra a Influenza (H1N1) no Amazonas com a estimativa populacional de imunizar 1.103.723 amazonenses que fazem parte do público-alvo definido pelo Ministério da Saúde. A meta da campanha é vacinar, no mínimo, 90% desse público. Ao todo, são 1.535 salas de vacinação em todo o Estado. As salas estão localizadas em Unidades Básicas de Saúde da capital e de 61 municípios no interior.

Grupo Prioritário- A vacinação está disponível para o público-alvo formado por crianças de 6 meses a 5 anos, 11 meses e 29 dias, gestantes, profissionais de saúde e educação da rede pública e privada, indígenas, idosos com mais de 60 anos, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis; as portadoras de outras condições clínicas especiais como doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias (Síndrome de Down, Síndrome de Edward, Síndrome de Patau, Síndrome de Warkany).

Para receber a dose da vacina, deve-se apresentar o cartão de vacinação e um documento de identificação. Pessoas com doenças crônicas ou com outras condições clínicas especiais deverão apresentar, também, prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receberem a dose, sem necessidade de prescrição médica. Para os profissionais do público prioritário, basta apresentar o contracheque ou crachá.

Dia D – O “Dia D” de vacinação contra a Influenza será 30 de março, quando acontece uma grande mobilização para a intensificação da campanha. Na ocasião, serão disponibilizados 681 postos de vacinação em todas as zonas da capital, com 3.040 profissionais de saúde envolvidos.

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Saúde (Susam): Roseane Mota e Lúcio Pinheiro (98407-1699).

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA