Seas promove ações em alusão ao Setembro Amarelo

Palestra seguida de roda de conversa sobre depressão e suicídio, além de atividade laboral e interativa, fazem parte da programação que a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), por intermédio da Gerência de Recursos Humanos, via Bem-Estar do Servidor, vai realizar nesta terça (24) e quarta-feira (25/09), no auditório do órgão. As atividades aludem ao Setembro Amarelo, campanha de prevenção nacional ao suicídio, prática motivada pela depressão.

Serão dois dias de ações que têm como objetivo esclarecer, interagir e compartilhar questões de saúde mental sobre depressão e suicídio. Na terça-feira (24/09), a programação acontece no horário da manhã, de 9h às 11h, com palestra ministrada pela psicóloga Ketlen Nascimento sobre depressão e suicídio, seguida da roda de conversa.

A programação da quarta-feira (25/09) será realizada à tarde, das 14h às 15h, com o educador físico Yan Hael, que irá desenvolver atividades laboral e interativa, mostrando a importância da prática da atividade física para a prevenção à depressão e ao suicídio. O educador físico recomenda aos servidores que usem roupas leves para a prática das atividades.

O setor de Bem-Estar do Servidor da Seas, criado na atual administração do órgão, adotou a campanha Setembro Amarelo, criado pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), por entender a importância de se conscientizar os servidores e a comunidade em geral que o suicídio pode e deve ser evitado, bastando para isso uma palavra de estímulo.

Ketlen Nascimento disse que o setor de Bem-Estar do Servidor está a reboque das campanhas nacionais mensais, e por este motivo se organiza para propiciar os servidores espaço para a discussão do tema em questão. “Em setembro não queremos ficar de fora e vamos tratar o tema suicídio, trazendo junto a questão da depressão. Esse assunto precisa ser tratado por todos porque, muitas vezes, um colega ao nosso lado está em processo de depressão, indo para um possível suicídio, e não observamos”, mencionou.

A ideia da palestra, conforme a profissional, é despertar no servidor da Seas o papel de agente multiplicador. “Precisamos ouvir mais, quebrar os preconceitos, as barreiras, enfim, ter um olhar cuidadoso para com quem está ao nosso lado, pois na correria do dia a dia não percebemos esses detalhes, o que pode levar alguém a óbito”, disse, ressaltando entre os sinais de alerta o isolamento social, tristeza constante, sono excessivo, baixa autoestima e outros.

FOTOS: Divulgação/Seas

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA