Futebol, disciplina e educação militar para crianças na zona norte de Manaus

Idealizado por policiais militares da 26ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) com o objetivo de oferecer a prática de esporte junto da disciplina e educação militar, o projeto “Santa Bola” atende mais de 200 crianças e adolescentes do bairro Santa Etelvina e conjunto residencial Viver Melhor, na zona norte de Manaus.

Há seis anos, oferece aulinhas de futebol para garotos de 7 a 16 anos nos horários do contraturno escolar, além de educarem os jovens com ensinamentos militares e aproximarem os meninos da polícia, reforçando a filosofia de polícia comunitária.

Segundo o cabo da Polícia Militar, André de Lima, quando foi criado o “Santa Bola” tinha como objetivo não só a prática de esporte e a ocupação dos meninos após o horário escolar, mas também levar cidadania e disciplina aos garotos.

“O projeto começou com a meta de incentivar projetos que tinham como base a filosofia de polícia comunitária. Como eu tenho formação em educação física, demos início. Começamos no bairro Santa Etelvina, recebendo 50 crianças. Depois implantamos no Viver Melhor e foi muito exitoso, pois as crianças não tinham nenhuma atividade depois da escola, ficavam ociosas e muitas queriam fazer algo”, relata.

O cabo André divide as aulas com o companheiro de farda, o 3° sargento Rosenildo Alves. Após a implantação do “Santa Bola” no Viver Melhor, 100 crianças e adolescentes passaram a fazer parte do projeto. Os times são divididos entre crianças de 7 a 12 anos e outra turma com adolescentes de 13 a 16 anos. A divisão é feita visando maior aprendizado entre garotos da mesma faixa etária.

“Muitos deles têm pais que trabalham o dia todo, alguns têm a ausência de um familiar que possa incentivar e aconselhar e então acabamos fazendo esse papel. Eles veem a gente como policial, como técnico, mas também como amigo, alguém que eles sabem que querem o bem deles, que eles trilhem no caminho do bem. É um trabalho de prevenção”, afirmou André.

Uma vez por mês, os policiais realizam uma roda de conversa com os garotos para falar sobre criminalidade, uso de drogas e da área vocacional.

“Algumas crianças já tem a habilidade nata, de jogador, atleta. Dependendo como é a evolução, nós fazemos contato com escolinhas de futebol para receber essas crianças. Conversamos com os pais sobre o talento. A intenção nossa é formar o cidadão. Os pais vêm agradecer a questão da disciplina. Também ensinamos a ordem unida, entrar em forma, descansar, formar, acaba tendo uma rotina militarizada”, finalizou o cabo André de Lima.

As aulinhas de futebol acontecem segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira, nos horários 8h às 10h no Santa Etelvina. Já no Viver Melhor, as aulas acontecem 17h às 21h.

Fotos: Carlos Soares / SSP-AM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA