Escola de Atendimento Específico da Seduc-AM promove inclusão de deficientes visuais por meio do sistema Braille

 

Centro de Apoio Pedagógico localizado na Escola oferece capacitações e atendimento específico para estudantes com deficiência visual da rede

No Dia Nacional do Braille, comemorado na segunda-feira (08/04), a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM) compartilha exemplos do trabalho inclusivo e difusão da técnica voltada ao atendimento de portadores de deficiência visual, permitindo o acesso ao conhecimento e promovendo oportunidades profissionais. Voltada para esse tipo de atendimento, a Escola de Atendimento Específico Mayara Redman Abdel Aziz, localizada no bairro Adrianópolis, na zona centro-sul da capital, é a principal referência, sendo ainda sede do Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento à Pessoas com Deficiência Visual (CAP).

Por meio de seu centro de atendimento, a Escola proporciona para deficientes visuais orientações de acesso tanto à mobilidade e vida autônoma quanto aos recursos didáticos e pedagógicos por meio do ensino no sistema Braille. A formação para professores tanto no ensino regular e para as universidades e para as comunidades também faz parte do portfólio da unidade de ensino.

De acordo com o coordenador do centro, Paulo André Castro, são desenvolvidas atividades que auxiliam o público deficiente visual nas práticas autônomas do-a-dia, orientação em mobilidade, avaliação funcional da visão e reabilitação. A Escola possui também o Núcleo de Produção Acessível, onde são produzidos livros em Braille no formato ampliado e também nos formatos de mídia e materiais pedagógicos.

“Além de tudo isso, temos ainda um núcleo de convivência social que colocamos à disposição dos alunos e das famílias, visando uma vivência em sociedade onde eles possam também debater alguns temas específicos com eles sobre a deficiência visual. Na parte pedagógica, possuímos um núcleo o que trata da formação de professores e o atendimento em ‘Braille Soroban’, além de um Núcleo de Informática Acessível para o deficiente visual”, explicou.

Inclusão nas escolas – Ainda conforme o coordenador Paulo André, há um grande esforço empreendido para ofertar a formação à professores com cursos de formação continuada, como exemplo o Curso de Atendimento Profissional Especializado para Deficiência Visual, dentre outros.

“Os alunos estão nas escolas e precisam de um atendimento específico. Hoje, assistimos cerca de 50 alunos diretamente com livros, material didático, orientações e atendimento em geral, mas o nosso alcance vai além disso indiretamente, com determinadas limitações quanto ao interior do estado, mas sem deixar de atendê-los em suas necessidades”, salientou.

Atendimento – A Escola, por meio do CAP, realiza diversas atividades de inclusão e também de capacitação no meio educacional e também oferece o atendimento específico para alunos que precisam de atendimento específico. Para ter acesso aos serviços, cursos e atendimento às pessoas com deficiência, basta ir até a instituição, localizada na avenida Humberto Calderaro, 93, Adrianópolis, Manaus. A instituição fica aberta nos turnos matutino e vespertino.

FOTO: CLEUDILON PASSARINHO/SEDUC

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA