O secretário de estado da Saúde, Carlos Almeida, se reunirá com a direção do Hospital Universitário Francisca Mendes (HFM) para tratar das necessidades do hospital. Na manhã desta quinta-feira (7), a promotora de Justiça Silvana Cabral, titular da 58ª Promotoria de Justiça Especializada na Defesa da Saúde Pública, disse que o hospital poderia fechar na próxima semana por falta de materiais cirúrgicos.

A informação foi negada pela Secretaria de Saúde (Susam). “De acordo com a direção do hospital, no momento, não existe ameaça de suspensão dos serviços e os atendimentos ambulatoriais cirúrgicos estão ocorrendo dentro da rotina normal”, afirma a Susam por meio de nota. O Hospital Francisca Mendes é referência no tratamento cardiológico adulto e infantil no Estado.

Segundo a promotora Silvana Cabral, Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e Centros Cirúrgicos não estão funcionando plenamente e já não há estrutura para receber os pacientes que continuam a chegar de todo o Estado.

Atualmente, o Hospital Francisca Mendes é gerido pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), por meio da Fundação Rio Solimões (Unisol) e conta com duas fontes de recursos mensais: o governo do Estado e o Ministério da Saúde. A reportagem tentou ouvir a Unisol sobre o assunto, mas não obteve retorno.

“O Ministério Público estava em tratativas com o Estado para tornar o hospital público, de fato, público, porque hoje ele é gerenciado pela Ufam, por meio da Unisol e o que nós queremos é que todo o serviço passe para a gestão direta da Susam, por meio do qual todos os pagamentos seriam feito. É uma forma da secretaria trabalhar essa demanda que o Estado tem”, disse a promotora.

Prioridade
Em nota, a Susam informou que o abastecimento e pagamentos das empresas terceirizadas estão sendo tratadas como prioridade, desde o início do novo governo, e que não está medindo esforços para garantir a normalidade do atendimento em todas as unidades da rede estadual de saúde.

“A nova gestão da Susam ressalta que está atenta aos problemas estruturais do Hospital Francisca Mendes, que datam de muitos anos, como as filas de espera para cirurgia cardíaca. A unidade, inclusive, foi a primeira a ser visitada pelo governador Wilson Lima e o vice-governador e secretário estadual de Saúde, defensor Carlos Almeida, no quarto dia de governo”, diz trecho na nota.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA