Sema planeja manejo de jacarés e estadualiação da RDS do Piranha, em Manacapuru

Proteção aos animais
Clique na Imagem para ampliá-la

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) está estudando a viabilidade de liberação do manejo de jacarés na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Piranha, em Manacapuru (a 68 km de Manaus). A Unidade de Conservação (UC), que atualmente é municipal, também poderá ser estadualizada, passando a ser gerenciada pela Sema.

De acordo com a secretária executiva adjunta da Sema, Christina Fischer, o processo visa apoiar as famílias que vivem na região a fortalecer a geração de renda com atividades de baixo impacto ambiental. A secretária visitou o local no último sábado (30/3), acompanhada do prefeito de Manacapuru Beto D’Ângelo.

“Nós sabemos como o manejo poderá auxiliar na renda das famílias que fazem parte da reserva e estamos aqui para auxiliar no que for preciso”, ressaltou ela.

O prefeito de Manacapuru destacou que a região tem uma grande quantidade de pirarucus e jacarés. “Isto fortalece o potencial para manejo. Com este processo, cerca de 70 famílias que fazem parte de duas comunidades da RDS poderão obter recursos com a venda da carne e do couro do jacaré, seguindo toda a legislação vigente e cotas para manejo definidas por órgãos ambientais”, disse D’Ângelo.

Estadualização da UC – A secretária Christina Fischer explicou ainda que a nova gestão da Sema está empenhada em dar andamento ao processo de estadualização da RDS do Piranha, solicitado pela Prefeitura de Manacapuru.

“O processo de estadualização já está em andamento desde 2017, e a nova gestão vem buscando dar celeridade a esta ação. Conversamos com os comunitários e informamos que o processo está na Procuradoria Geral do Estado (PGE), que vem trabalhando para definir esta questão”, informou Fischer.

Os responsáveis técnicos da Sema e da prefeitura deverão fazer agora agendas mensais de atividades com as comunidades da RDS.

FOTOS: Victoria Sales / Sema (reunião) e Ricardo Oliveira / Sema (jacaré)

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA