Famílias são expulsas por jagunços em Lábrea

Foram horas de terror no último sábado, no Sul e Lábrea (AM), na divisa com o município de Acrelândia. Cerca de 40 famílias foram surpreendidas com a chegada e jagunços fortemente armados e se viram obrigadas a deixar tudo em troca da própria vida.

O posseiro conhecido por Nenes, foi assassinado a tiros de espingarda, dentro da propriedade onde mora há vários anos. Ele era marido de uma professora conhecida na região como Enedir. Famílias passaram várias horas reféns dos pistoleiros.

O corpo do marido da professora foi resgatado por cerca de 150 homens, da própria comunidade, por causa da demora da polícia acreana em entrar na região. O homem foi alvejado quando tentava salvar pertences de sua casa, que foi incendiada pelos jagunços. Com extrema dificuldade, o corpo foi trazido para o IML de Rio Branco. Existe a suspeita de que houve mais mortes no ataque.

A região é alvo de violentas investidas de grileiros desde 2014. Não se sabe quem mandou expulsar as famílias, mas o Incra e o Ministério Público sofrem críticas ferrenhas dos posseiros, por omissões e pela demora em emitir o título fundiário.

*Com informações do AC Jornal

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA